domingo, 30 de maio de 2010

Vida particular - em público

Você também tá cansado dessas pessoas super-legais que acreditam que sua vida particular deva ser conhecida por todo mundo?

Por exemplo, se você transou com 73 pessoas em duas horas, muito bom pra você, campeão. Nós não precisamos saber disso, entende? Nós não queremos saber disso. Ninguém quer, é repugnante. Tá, mulheres que leem revistas de fofocas provavelmente acham o máximo - mas a opinião delas é completamente desconsiderável.

Sério, padres são melhores confidentes do que a internet.


Se você usa a internet pra divulgar fatos engraçados, tristes, retóricos e esse tipo de coisa, tudo bem, afinal, é divertido compartilhar com um mundo coisas que acontecem com você, às vezes. Mas não precisa dizer absolutamente tudo, como se você mesmo fosse a sua própria revista Caras. Não é legal ler coisas como "ah, essa semana foi muito ruim. Eu tava doente, vomitando na cara de todo mundo. Por sinal, o vômito era verde. Aí bati na minha mãe e quase matei minha namorada, e fui ter relações com outra garota, que engravidou, mas nossa, era muito gostosa, os seios dela eram perfeitos. Do tipo que dava pra todo mundo. Aliás, meu pai está muito mal da sífilis dele, e eu aqui, com esse câncer no intestino". Isso é muita falta de semancol. Você pode escrever só NOSSA, COMO ESSA SEMANA FOI RUIM! Pronto! Aliás, o twitter serve muito bem pra isso.

Detalhes da sua vida são detalhes da sua vida. Não precisa expôr isso só pra se achar famoso, sério, sério mesmo. Muito menos para que sintam peninha de você. O máximo que vai acontecer é te acharem idiota - como você provavelmente é.

Tenham um bom resto de final de semana, por hoje chega.

Nerds e suas modas

Pelo visto, a moda agora é criticar tudo que não seja nerd/geek.
Legal, acho isso muito bacana, uma vez que eu sou nerd/geek.

Entretanto, critique com a sua opinião, PORRA! Esse negócio de ficar repetindo frases clichês e babacas de pessoas como o PC Siqueira e o Bruno Mazzeo é completamente FAIL. Se você não gosta de sertanejo (como qualquer pessoa decente, diga-se de passagem), não precisa dizer EXATAMENTE o que outra pessoa diz como se isso fosse sua opinião, sabe. E a grande maioria desses "críticos" se acha inteligente, culto, simplesmente porque está defecando no pensamento de gente famosa. Pô, acorda.

Uma boa parte do público nerd que vive no twitter ou em blogs decidiu que a ferramenta retweet iria valer para ABSOLUTAMENTE TUDO na vida.
Isso cria modas, faz tudo virar clichê, sem graça, sem sal. Então, qual a diferença entre "retweetar" - não apenas no twitter, of course - todas as frases (supostamente) inteligentes e a Família Restart? Não são... Retweetadores de música de merda, também?

Criticando o óbvio

Olá, habitantes da Terra.

Supostamente, todas as pessoas que navegam na internet são seres humanos alfabetizados, com alta capacidade intelectual e de raciocínio (não que usem essas capacidades necessariamente). Mas, eu pergunto, quantos são os que de fato sabem ler? Quantas pessoas conseguem destrinchar notícias, fatos ou escritas, criando uma opinião inteligente e esquematizada, com bases sólidas?

É exatamente isso que nós (eu sempre me refiro a mim mesmo em terceira pessoa, acostumem-se) queremos saber.

Tudo que acontece à sua volta é digno de uma crítica. Sim, até mesmo o que VOCÊ faz é digno. Até mesmo o que é óbvio, como o fato de que seu vizinho é um chato inútil. E, se cada um tem sua opinião, nós apenas optos por mostrar a nossa de um jeito um pouco mais... Incisivo.

É isso aí, vamos quebrar a moda e descer a lenha, porque esse blog absolutamente ducaralho tem esse objetivo.