segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Sobre o segundo turno em Curitiba

Boa tarde, e que linda tarde esta do dia 8/10/12!

Um dia depois das eleições, estamos ainda em polvorosa graças à incrível colocação de GUSTAVO FRUET no segundo turno, vencendo a máquina de Beto Richa - que o passou para trás em uma traição nojenta - e surpreendendo os falidos institutos de pesquisa. O primeiro colocado e adversário de Gustavo é Carlos R. Massa Jr., quero dizer, Ratinho Jr. - mas ninguém sabe o nome dele, mesmo.

E eu, com o amor incontido que sinto por minha cidade, precisei escrever esse texto. Precisei sentir que estou fazendo minha parte para impedir que a cidade caia - volte a cair! - nas mãos de pessoas mal intencionadas, mal preparadas, manipuladas. Alguns de vocês me conhecem por minha postura firme em discussões, do jeito que as levo para o modo acalorado, muitas vezes desnecessariamente. E, nessas desnecessárias vezes, os bons argumentos se perdem entre farpas e creio que muitos perdem com isso. Devo desculpas a este modo, mas muita gente simplesmente não entende o que está na cara deles. E é por isso que esse texto é mais um nesta maneira. Prefiro acreditar que é uma profusão de amor exagerada, um depoimento incrédulo e uma tentativa gritante de alerta.

Ninguém acreditava que Ratinho Jr., esse longínquo turista que pediu uma prefeitura para o pai, fosse tão longe. Ninguém imaginava que Ducci estaria fora do eventual segundo turno, uma posição praticamente garantida pelo uso e abuso da imagem do governador. E é por isso que esse texto não existe desde antes. Não era necessário mostrar em palavras a indignação por um Ratinho ser o mais votado em Curitiba - justamente pelos institutos de pesquisa serem tão falidos quanto podem ser. Mas agora a situação é outra. Ratinho teve mais de 300 mil votos. E isso é inaceitável.

Gustavo era, no princípio, nome certo para a prefeitura da cidade. O golpe nas costas dado por Richa deixou-o sem opção, e o PT o procurou para uma aliança, que foi aceita. Muitos disseram que foi uma aliança temerária, eu, inclusive, enquanto não conhecia o cenário político real. Mas foi necessária. O apoio do Governo Federal à prefeitura só tem a trazer benefícios, ainda mais agora que o Governo provavelmente não apoiará. Eu, de anti-petista extremo, me tornei uma pessoa mais razoável e ouvi os argumentos. Não posso negar que no PT tem muita gente ruim - e a prova disso é o mensalão, do qual o Gustavo foi relator - mas existe gente desse calibre ou pior em outros partidos. O Gustavo não se aliou com o podre do PT, e não se aliaria com o podre do PSDB se soubesse que era o podre. A parte do PT que está com o Gustavo é a parte da mente aberta, da inteligência e das propostas coesas. Eu sei disso. Eu VI isso.

Não votar no Gustavo por não votar no PT é a atitude temerária que muitos julgam estar evitando. É o risco de termos mais quatro anos de mais do mesmo - o principal argumento do Ratinho é que ele é 'mente aberta', mas suas propostas são imperfeitos (piorados) clones das propostas dos outros! -, o risco de termos como secretários gente do PSC - que, por muito, não são melhores que do PT, embora eu duvide que as secretarias vão para as mãos dos petistas -, o risco de perdermos a única pessoa verdadeiramente honesta, ética e capaz de assumir a prefeitura dos últimos doze anos.

Gustavo tem muito foco em educação, fazendo propostas coerentes e possíveis de serem executadas. Vale lembrar que tudo depende da educação, desde a saúde à mobilidade, e nesse ponto é realmente onde Fruet se destaca. Falando em mobilidade, também dá Fruet. As ideias pobres sobre o VLP de Ratinho não se comparam à inteligência de melhorar as ciclofaixas e ampliar o projeto da Linha Verde, além de corrigir todas as falhas gritantes de planejamento feitas pelo "canteiro de obras" Beto-Ducci. A saúde será melhorada juntamente com a segurança, coisa que o "candidato dos uniformes" nem se pronunciou sobre - ele apenas prometeu presentes à moradores de comunidades carentes, presentes sem sentido e pequenos demais para pessoas tão grandes e importantes, que atualmente ficam esquecidas no cenário político. Iremos saltar da Curitiba estagnada para a Curitiba do progresso, que acompanha o primeiro mundo. Novamente seremos modelo.

Para isso, contanto, precisamos NÃO eleger Ratinho Júnior, uma pessoa faltante e ausente desde seus tempos de deputado. Ratinho não pega ônibus, não vê o caos e sequer morava em Curitiba - como disse, um turista que quer uma prefeitura com o único interesse de aumentar o domínio do pai, que já é grotesco. Gustavo anda de ônibus e bicicleta regularmente FORA de época de eleições, assim como eu - mesmo com meu sobrenome, não tenho favores da família e pego o Interbairros III aqui perto de casa todos os dias para ir para o terminal Bairro Alto, tenho que esperar os mesmos 30 minutos quando invariavelmente o ônibus se atrasa e o caos da Victor Ferreira do Amaral me prejudica muito. Por isso, posso afirmar com certeza absoluta que Gustavo conhece melhor os problemas, conhece melhor as comunidades carentes (nas quais Ratinho teve nojo claro de ir, diferente do Gustavo).

E além de todos os argumentos apresentados no texto, Ratinho também é uma pessoa preconceituosa e elitista, dado a briga que comprou com a comunidade homossexual de Curitiba. Ele condena quem pensa diferente dele mesmo (ou seja, quem pensa diferente de seu pai, visto que o filho são as 'ideias' do pai vomitadas dentro da mente). Gustavo, por sua vez, e mais uma vez posso afirmar porque o conheço pessoalmente, é a humildade e o companheirismo em pessoa. Nunca vi alguém tão educado e simples para alguém com a bagagem que tem, e é incrível como em matéria pessoal Gustavo dá um show no outro candidato.

Enfim, com esse texto, espero que tenha ajudado você, eleitor do Ducci, do Greca, do Meirinho, da Alzimara e do Avanilson, que estava indeciso, a decidir. Decidir pelo melhor, decidir por não eleger a corja, decidir pelo amor que você e eu sentimos por essa Curitiba que há tanto foi maravilhosa e que tanto potencial tem para voltar a ser. Espero que tenha ajudado você, que pensa em jogar seu voto fora e votar nulo, a entender o PT que - não gosta, eu sei, eu também não gostava - é tão necessário nessa campanha. Espero que vocês tenham lido com a mente aberta de uma pessoa jovem, compreendendo que quem escreve é outra pessoa jovem, talvez com um furor excessivo gerado pelo desespero. Desespero justificado, juro, haha.

Caso ainda esteja em dúvida, o convido a ler o plano de governo simplificado do Gustavo, para que possa julgar - como eu fiz, e tanto fiz - suas propostas, e confirmar você mesmo que são as melhores.

Vote 12 nesse segundo turno por uma Curitiba melhor!

Obrigado,
Caio Oleskovicz

2 comentários:

mateus disse...

Hey, seu texto está muito bom e, por mais que eu nem goste do Gustavo nem do Ratinho, me abriu os olhos pra coisas óbvias que eu nem tinha reparado sobre o Carlinhos.
Mas tenho uma dúvida: vejo muita gente comentando mas ninguém sabe me dizer exatamente qual é a briga que o Massinha tem com a comunidade lgbt, eu imaginei que só o fato dele ser do psc já é um bom motivo... que briga é essa?

Parabéns pelo texto.

Shiro disse...

Olá Mateus,

Obrigado pelo comentário e pelo elogio!

Quanto à sua dúvida, Ratinho se posicionou contra o casamento homossexual e também disse que não queria que seus filhos vissem um beijo gay.

Aqui pode saber mais sobre o assunto e os protestos: http://www.gazetadopovo.com.br/blog/caixazero/?id=1303720