sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Sobre o caso do menino acusado de matar os pais

O caso do menino deu muito mais o que falar que era previsto, o próprio delegado assumiu.
O meu texto também. Não esperava tamanha viralização ao postá-lo. Desde já, agradeço os comentários elogiando, criticando, xingando e também às "leituras silenciosas". Acho que se vocês leram e tantas pessoas gostaram, meu objetivo como escritor, ao redigir o artigo, foi atingido. Tentei responder aos comentários, mas mostrou-se impossível, então, lá vai uma resposta geral.

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

O menino que (não) matou os pais

Covardia.
É isso que eu vejo no chocante caso da família de policiais militares brutalmente assassinada no dia 05/08.
Covardia da pessoa que realizou os assassinatos, da polícia - os "grandes", no caso - em manipular os fatos e da mídia em oficializar a manipulação.
Gostaria de deixar claro o que já é óbvio: É IMPOSSÍVEL VISANDO DIMINUIR O MANIQUEÍSMO DO POST TROQUEI ESSA EXPRESSÃO POR ABSOLUTAMENTE IMPROVÁVEL que o garoto tenha matado os pais. Sem querer ser conspiracionista, mas pessoas podem ser desviadas de sua conduta normal mediante suborno, e isso acontece com relativa frequência no nosso país, o que deslegitima um pouco a autoridade geral da classe..

sábado, 22 de junho de 2013

A manifestação brasileira

... é ruim. 
Não, você não leu errado. 

Vou construir um argumento; aviso de antemão que o texto ficará gigantesco. Se você acha que eu sou puramente contra o povo sair às ruas e sempre fui, pare de ler aqui. Se você quer entender essa reviravolta, leia até o final, vou tentar explicar (adianto que não sou tão politizado quanto algumas pessoas, tampouco tenho informações preciosas que só eu consegui juntar; isso aqui é como se fosse um compilado-piorado do que houve na internet essa semana). Ah, para os mais próximos: Eu utilizo a palavra COXINHA um total de zero vezes. 

Vamos lá: Estou felicíssimo de ver que o povo saiu às ruas; apoiei intransigentemente os manifestos, inclusive participei quando tive a chance. As fotos da gente nas ruas não passam nenhum sentimento exceto amor, e não dá para pensar em outra coisa exceto que o povo não é tão acomodado quanto alguns críticos achavam. Havia, em mim, uma felicidade inebriante; meu pensamento era que não ia viver para ver aquele tipo de coisa... Ver aquele contingente gritando e protestando contra o aumento da passagem, contra a truculência policial, pelo impeachment... Epa... Calma lá... Esse nunca foi um ideal. O que nos trás à primeira pauta do meu argumento:

segunda-feira, 10 de junho de 2013

A distopia (e o pessimismo) de Augusto dos Anjos

Vamos falar um pouco de literatura. Mais do que isso!, literatura brasileira, algo que está tão em baixa aos leitores de nosso próprio país. Sim, porque o Brasil lê, e você deveria pesquisar algo sobre para dizer que falta essa cultura ao nosso povo. Mas não entrarei no mérito.

Confesso que acho a literatura "obrigatória" para vestibulares federais e coisas do tipo um tanto enfadonha. Talvez seja porque são leituras obrigatórias; você não lê algo sem vontade de fazê-lo e acha-o legal, normalmente. Por isso, criei uma certa ressalva aos autores mais tradicionais, como Machado de Assis e Érico Veríssimo - embora tenha já feito uma releitura menos forçada e mais crítica, e subido o conceito especialmente deste. No gênero "fantástico", já citei Eduardo Spohr e sua incrível série de livros aqui no blog; reforço que são mesmo excelentes. 

quarta-feira, 5 de junho de 2013

O amor é baseado no egoísmo

Recentemente (ou nem tanto assim - já fazem quase seis meses, cara!) escrevi neste blog um "artigo" sobre ética. Em tal texto, afirmei que a quintessência (ou seja, o âmago, a essência mais pura) do ser humano é, necessariamente, egoísta. Tal frase, que pode causar certo espanto para as pessoas mais otimistas, não foi, para minha surpresa, refutada, de modo que podemos, então, para fins de escrita meramente lúdica, tomá-la como verdade. A partir disso, temos que o egoísmo é intrínseco e adjunto ao caráter e à "alma" em si do ser humano; nós somos, por excelência, uma raça muito baseada no ego. Ora, supondo que essa declaração esteja correta, nós temos que o egoísmo não é, necessariamente, algo ruim; mais profundamente, podemos também dizer que o altruísmo de algumas de nossas ações provém do egoísmo que está presente em nosso caráter. 

quarta-feira, 22 de maio de 2013

O brasileiro na internet - HUEHUEHUE

Mais uma boa tarde aos senhores!

Recentemente uma matéria da Folha de São Paulo trouxe novamente à tona uma antiga discussão: Os brasileiros são mesmo odiados na comunidade internacional, seja jogos ou quaisquer outras coisas?
Acredito que todos vocês que estão lendo conhecem o "hue" e demais terminologias associadas, na internet, aos brasileiros, então não vou me demorar dentro do simbolismo da coisa. (Caso você desconheça o termo ou queira se informar mais sobre, escrevi uma matéria para o site Literatortura)). Mas, enfim, qual seria uma análise de um ponto de vista de um gamer?

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Um Renomado Jornalista

CRÔNICA

Por Caio Oleskovicz. Todos os direitos reservados. É uma história de ficção. Ou não.


Meu chefe tinha mandado me aprumar para o dia de hoje. Nós íamos visitar uma favela, quero dizer, uma comunidade (porque favela é ofensivo, não é?), e tínhamos que parecer senhores, doutores. O documentário ia ser vendido em mais de vinte países, mas não no Brasil, afinal, nós não produzimos doutores internacionais. Senhores da ONU analisariam a precariedade da vida de nossa miséria a partir do meu trabalho. 

segunda-feira, 22 de abril de 2013

A sutil diferença entre patriotismo e insanidade

Estou escrevendo esse texto porque amo meu país. 

Fui abordado diversas vezes por "não ser patriota". O argumento que a patota de "caçadores de não-patriotas" usava era bastante simples: "Se não tá gostando, vá embora". A todos, respondi ponderadamente que embora tivesse interesse em sair do país por algum tempo, o fato de eu ir embora não era o que definiria se eu iria concordar com as políticas e o sistema do Brasil, e se as pessoas que me fizeram esse tipo de abordagem concordam com tudo atualmente, lamento por elas. Vejam, não foi sequer uma resposta agressiva, como as minhas tendem a ser. 

Mas vou escrever um pouco mais; Contra-argumentar um pouco mais a fundo. 

quarta-feira, 27 de março de 2013

Sucesso, dinheiro e felicidade - Três coisas diferentes

Boa noite.

Essa semana estava conversando com um amigo, que, por razões éticas, não vou citar o nome. Também este amigo optou por dissociar-se de quaisquer redes sociais, tornando-se impossível mencioná-lo sem tirar-lhe o direito de resposta. Dessa forma, chamarei-o de Amigo - ele vai ser importante na elaboração deste texto.

Pois bem. Nossa conversa seguia-se por rumos de dinheiro. Somos ambos pessoas bastante ambiciosas (que construção feia de frase... "Ambos" e "ambiciosos", mas não consigo pensar em nada melhor) e jovens, e discutimos regularmente "estratégias" para ganhar dinheiro. Invariavelmente, nossa conversa aprofunda-se ao campo da felicidade - por quê ganhar dinheiro? Para quê viajar o mundo? Como, quando, onde? -, e esse último diálogo em especial foi bastante esclarecedor.

terça-feira, 19 de março de 2013

O problema do preconceito

Boa noite.

Hoje, pouco antes de sair do emprego, me deparei com um rapaz. Nem-tão-jovem-assim, o homem devia ter uns 30 com aparência de 40. Ele implorava a todos na rua: "Isqueiro, isqueiro, isqueiro". Não conseguia sequer formar outra palavra: Tudo que ele pedia era um isqueiro. Estava sujo, vestido com um bom Blazer de corte italiano porém calças molhadas do joelho pra baixo, enlameado e com cheiro desagradável. Era evidente que não passava fome; Só não ligava para mais nada.

As pessoas abordadas por ele, enojadas, sequer respondiam. Desviavam de seus caminhos, olhavam com pura e completa aversão. Eu, a princípio, também. Depois pus-me a refletir sobre essa realidade dos moradores de rua que estão envolvidos com substâncias entorpecentes e demais coisas.

quarta-feira, 13 de março de 2013

Complementação - Argumentando com teorias

Olá, boa tarde.

O tópico de ontem foi uma espécie de "guia" sobre como argumentar com alguma qualidade em situações do cotidiano. Argumentações simples, nada muito elaborado, até porque eu não tenho conhecimento de algo mais profundo e específico em relação a isso.

Porém, eu não mencionei um caso especial que é muito usado em argumentações, especialmente naquelas mais "fora-da-casinha": A existência de Deus, a viagem do Homem à Lua, etc. Para esses temas, não podemos utilizar de provas concretas, pois além de não termos acesso à fontes, de fato, materiais para provar, são temas cujas próprias provas estarão em voga no meio de uma discussão. Pensando nisso, resolvi fazer uma espécie de complemento do texto de ontem, onde você pode utilizar de uma apresentação "desmunida" de provas. Entre aspas - porque não é exatamente isso.

Argumentação: Sutilezas e pontos importantes

Boa noite!

Se vocês estão lendo este blog, acho que já têm por padrão que sou uma pessoa que ama argumentar. Como um sofista, gosto de provar o contrário e me contradizer apenas pelo prazer. Não consigo fazer isso tão bem quanto gostaria; É fato que já fui melhor em pesquisas e mais dedicado em discussões. Mas hoje, mais velho e mais sem-graça, fico na velha retórica da argumentação padrão e simplificada.

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Ética comportamental e aplicada


Boa noite, boa madrugada a todos.

Hoje vim falar aos senhores um pouco sobre ética. Não aquela ética ensinada nas escolas de direito, que são tão confusas e ambíguas; Algo menor, na alçada de cotidiano de uma pessoa "comum". Com efeito, ética é o que define - mesmo sem saber - a rotina das pessoas, e talvez até mesmo seu caráter. Há uma frase, atribuída na internet a Abraham Lincoln, que sustenta a teoria "Qualquer homem pode ser virtuoso ao suportar adversidades, mas se quiser testar-lhe o caráter, dê-lhe poder". O poder é circundado pela ética; Toda e qualquer ação que denote poder necessita ser guiada por um (conjunto de) padrão ético, seja essa ação cuidar de uma empresa ou dos filhos. É por isso que creio que o assunto é delicado, mas não necessariamente pessoal.